quinta-feira, 21 de março de 2013

Hora de amor

Vem.
Adormece encostada a este braço
Mais débil do que o teu.
Entrega-te despida
Nas mãos dum homem solitário
Que a maldição não deixa
Que possa nem sequer lutar por ti.
Vem,
Sem que eu te chame, ou te prometa a vida.
E sente que ninguém,
No descampado deste mundo, tem
A alma mais guardada e protegida.

Miguel Torga

Jean-Marc Bory e Jeanne Moreau em Os Amantes, 1958

sábado, 16 de março de 2013

Sexo no Cinema #21

Blow Up, de Michelangelo Antonioni, 1966

sexta-feira, 15 de março de 2013

Epigrama

Amar, foder: uma união
De prazeres que não separo.
A volúpia e os desejos são
O que a alma possui de mais raro.
Caralho, cona e corações
Juntam-se em doces efusões
Que os crentes censuram, os loucos.
Reflecte nisto, oh minha amada:
Amar sem foder é bem pouco,
Foder sem amar não é nada.


La Fontaine (1621-1695)
(Trad. José Paulo Paes)

Domingo Moreno Otero (1882-1948), O Beijo

segunda-feira, 11 de março de 2013

Cantata

Farei tudo que você quiser.
Serei palhaço, ladrão de mulher,
encantador de serpentes,
travesti: usarei tua calcinha e sutiã
para te ver rasgá-los com violência
e violentar-me numa suave manhã.
Serei besta, sodomita, uma fera
selvagem, em urros e pinotes
com os quadris lanhados de chicote.
Terno, dócil, cordeiro de Deus,
lamberei todos os teus pecados:
o feno e a palha dos teus pentelhos,
a fonte de sal dos teus sovacos,
o cheiro de curral amanhecido do teu sexo,
o poço profundo do teu ânus, agnus serei.
E serei fauno com flauta mágica,
vibrador, punho cerrado, pênis,
dedos da mão, dedos dos pés, língua ouriçada
pra não te deixar um só minuto descansada.
Demônio, Satanás, Lúcifer, Belzebu,
te farei anjo sob todas as tentações
de te entregares todinha, mesmo o cu
que talvez queiras preservar para a eternidade.
A minha língua serão duas, dez, cem
para entrar, serpente, beija-flor, em todos
os orifícios que o teu corpo contém. Alicate
de torturador, os meus dedos
vão arrancar teu gozo, confissões,
gritos de dor e de prazer: – Me mate!
Vou cavalgar a tua bunda e o teu ventre
e tu também cavalgarás em mim, sem fim,
égua no cio, cavalo, ginete, centauro,
seremos dois perseguindo a mesma caça:
o estertor do gozo, a explosão da graça
de foder com luxúria e com a amor.
Vem. Farei tudo o que você quiser,
seja o que for.


Nei Leandro de Castro

Christian Weiss

quarta-feira, 6 de março de 2013

Espelhos #6

Brigitte Bardot e Jane Birkin em Don Juan, de Roger Vadim, 1973

Lena Olin em A Insustentável Leveza do Ser, de Philip Kaufman, 1988

Lucélia Santos

Nicole Kidman em Eyes Wide Shut, de Stanley Kubrick, 1999

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...